1.03.2014

Aquela Coisa - Capítulo nove

- A Guardiã da vida

http://3.bp.blogspot.com/-YPbQ0XSo4DU/UsBOiFCRVSI/AAAAAAAAFuk/jd_JupwrXcU/s1600/AGDV3.gif

      - Desculpe se assustamos os pombinhos. -Zombou Coelhão. - Da próxima vez daremos um tempinho para os dois ficarem no amasso. -Eu revirei os olhos. Jack apenas fechou a cara e ficou olhando para o lado oposto de mim e Coelhão.
      - Bem, acho melhor nós procurarmos a Guardiã da vida antes que Breu a encontre! -Norte nos lembrou.

      Todos assentimos com a cabeça e decidiram se separar para poder procurar o lago no qual se encontrava a Guardiã. Certamente, ela deveria ser muito importante para o Breu querer destruí-la. Pelo que o Jack me contou, sem ela não teria vida na Terra, e as pessoas morreriam bem rápido. O Norte disse que eu e Jack ficaríamos distraídos se fossemos juntos, então o Jack foi com o Norte e eu tive que ir com o Coelhão. Eu não falei muito com ele, então agora era a hora de eu começar uma boa amizade com o Coelhão.

      - É... Você tem a absoluta certeza que algum lago fica par ao Norte não para o Leste? -Perguntei, eu estava um pouco atrás dele e o mesmo não falava uma palavra se quer à mais de meia hora.
      - Sim, eu conheço estas florestas com a palma da minha mão! Sei muito bem para onde estamos indo!
      - Sem querer bancar a inteligente, mas já bancando... Nós estamos mesmo no meio da floresta, e existe um lago exatamente para o leste. E parece também, que nos distanciamos um pouco da cidade. O que estou querendo dizer é que se continuarmos andando por essa direção ficaremos perdidos! -Guardei o mapa na mochila que o Jack insistiu em que eu levasse, ele mesmo preparou antes de ir me buscar.
      - Mas... Onde conseguiu esse mapa?
      - Se você prestasse um pouco mais de atenção por onde está indo, veria que antes de entrar na pequena floresta existe um placa, e na placa estava escrito que o local é um ponto turístico e antes dos turistas entrarem, eles entregam um mapa caso alguém se perca. -Coelhão suspirou e logo depois olhou para mim.
      - Então para onde temos que ir?
      - Por ali! -Apontei para o leste, era um lugar um pouco mais escura.
      - Está ficando louca? Aquele lugar é das trevas e apenas de dia alguém ousa ir para aquele lado!
      - É o lago mais próximo de nós dois, e provavelmente o maior da floresta.

      O Coelhão bufou e tomou o mapa de mim. O olhou por alguns segundos o mesmo. Ele começou a andar devagar, porém ainda olhando para o mapa. Balancei a cabeça e revirei os olhos, logo depois comecei a segui-lo. Peguei meu celular que estava em meu bolso e os meus fones, coloquei para tocar Rock N' Roll da diva da Avril Lavigne. A música era bem animada, e me dava energia positiva.

      - I don't care about my makeup, I like it better with my jeans all ripped up. Don't know how to keep my mouth shut. You say so what (what)
      - Acho que era melhor começar a se preocupar com a sua maquiagem. Jack me mostrou uma foto sua quando era pequena e você estava de maquiagem, e você mesma passou. Parecia um palhaço.
      - O que? Como sabe o que eu disse?
      - Digamos que para ser o coelho da Páscoa, tem que saber todas as línguas. Eu fui feito para saber todas as línguas. Assim como a fada, o Norte, o Sandman, e o Jack. Afinal, para uma brasileira que não sabe falar em inglês, você até que canta bem. Quero dizer, as palavras da música que saem de sua boca são corretas, apesar do sotaque.
      - É bom saber disso! Agora tenho cinco professores de outros idiomas. -Sorri maliciosamente.
      - Nem em seus sonhos que eu vou ensinar inglês para uma garotinha que ainda faz o quinto ano.
      - Na verdade faço o oitavo, e pelo que já veem me dizendo, eu não sou mais uma criança. O que é uma pena!
      - Se não é mais uma criança, porque ainda acredita em contos de fadas?
      - Nossa, que grosseria! Achei que fosse importante para você as pessoas continuarem acreditando ou não, e, na minha mente, eu ainda sou uma criança.
      - É, fico feliz em saber que você ainda pensa assim.

P.O.V Jack Frost

      Não conseguia dizer uma palavra se que sem que o Noel me interrompesse. Ele dizia que barulho o desconcentrava. Mas como ele conseguia se concentrar com o barulho dos corvos? Bufei de raiva e andei devagar enquanto congelava tudo. Porém, meus olhos não estavam mais fixados nas folhas em que congelava, mas sim na Blair. Ela estava perto de uma árvore, me olhando, mas era impossível, ela estava do outro lado do outro lado da floresta com o Coelhão.

      - Jack! Eu estou aqui Jack! Venha até mim! -Eu sorri ao ouvir ela me chamando. Fui em direção a ela com um sorriso bobo no rosto e me decepcionei quando a mesma desapareceu do nada. Olhei para os lados a procura de Norte mas eu não o vi em lugar nenhum. Eu agora estava sozinho e sonhando acordado.       - Jack, eu preciso de você! -A voz vinha atrás de mim e vi Blair amarrada em uma árvore. Corri para ajudá-la mas ao me aproximar, vi Breu ao seu lado.
      - Solta ela, agora! -Gritei, porém ele não me respondeu e a desamarrou da árvore. Logo depois ele a levou para mata a dentro. Na hora em que eu estava indo na direção deles escutei a voz do homem da lua. Não siga os seus olhos, siga o seu coração e a sua alma! O que ele queria dizer com isso?
      - Jack, o que você fez? -Ouvi a voz da Fada, mas ao me virar vejo a mim mesmo e ela. - Você a matou! Por qual motivo você fez isso?
      - Ou eu a matava ou ela se casaria com aquele idiota. -Meu clone disse. Mas quem eu tinha matado? Eu nunca mataria uma mosca! - Foi o único jeito. Se eu não posso tê-la ninguém pode!
      - Blair? O que aconteceu com ela? -Perguntou Coelhão, se aproximando do corpo de uma garota. E o corpo da garota morta era a Blair. Mas não parecia, ela estava mais madura e mais bonita. - O QUE ACONTECEU COM ELA? -Coelhão gritou.
      - Eu, eu a matei! Pra que toda essa preocupação? Esqueceu-se que ela não te vê mais por ter dito a ela que a odiava? -Meu clone já não era mais eu. Na verdade era, mas agora estava ficando negro. Minhas roupas mudavam para preto e meus olhos ficaram amarelos, igual ao de Breu.
      - Você estava louco, Jack? Por que a matou? Dizia tantas vezes que a amava e que não queria que nada de mal a acontecesse.
      - É, eu disse. No passado. Agora ela já é uma mulher, com seus vinte anos e estava prestes a se casar. E se eu não posso tê-la, ninguém mais pode tê-la.

      Aquele não era eu, não podia ser. E foi então que eu vi que era magia negra. E não era de Breu, talvez pudesse ser das três mulheres que estavam com ele. Olhei para o céu e raios começaram a cair perto de mim. Parecia que eles queriam me acertar. Distraído com os raios, fui acertado fortemente por uma camada de... Gelo? O gelo me prendia no chão úmido da floresta, e enquanto tentava me soltar, vi a Blair, novamente, agora estava ela e Coelhão. Mas eu não sabia se eram ele sou se era mais uma ilusão.

      - Jack! Ai meu Deus! Jack como foi que isso aconteceu? -Ela se aproximou de mim, e quando estava encostando a mão em meu rosto eu desviei. - Jack, deixe-me cuidar de você!
      - Não sem ter a absoluta certeza se você é realmente a Blair.
      - Ora, eu também nem sei se você é realmente o Jack e estou tentando ajudá-lo. Será que não podia ser um pouco mais gentil?
      - Pera, você também está tendo ilusões? -Perguntei tendo a certeza de que era ela.
      - Sim, e vi você morrendo nas mãos de Breu. Foi o pior momento da minha vida. -Blair me abraçou, e então eu tive forças para conseguir sair daquele gelo que me prendia. - Jack me prometa que não vai me deixar?
      - Eu prometo! Nunca vou deixá-la! -Coelhão apenas a olhava e observava a cena. Blair aproximou-se de mim, chegou perto demais e já sentia sua respiração perto da minha. Ela iria me beijar, até que ouvimos vozes.
      - Não Jack! É uma ilusão! -De um lado apareceu uma Blair e logo depois vieram outras dizendo que era ela e a que estava comigo era a falsa. Eu não sabia em quem acreditar. O Coelho agora estava multiplicado por trinta assim como a Blair também estava. Não me aguentei e atirei na que estava mais perto. Algumas desapareceram e as outras olhavam o corpo de uma Blair no chão.
      - Por que fez isso? Era para ter acertado a que estava com você, prestes a te beijar. -Ela falou. - Jack, confia em mim! É tudo uma ilusão e está afetando as nossas mentes.
      - Porque deveria confiar em você? Eu nem sei se você é realmente a Blair. -Apontei o cajado para ela e a mesma se assustou. Vi lágrimas caírem de seu rosto. - Fale! O que está provocando isso?
      - Eu não sei! -Ela gritou. - Você não é o Jack! É apenas mais uma ilusão, e está me fazendo pensar que ele está se revoltando contra mim. -Ela chorava, mas mesmo assim eu não abaixava o meu cajado. - Por favor, abaixa isso! -Mesmo com a voz doce da Blair, eu não abaixei. Percebi que todas tinham desaparecido, menos a que estava sentada no chão ferida e uma que encarava de olhos arregalados um pouco adiante. - E você! É mesmo a Blair?
      - Sim, eu sou! Se eu não fosse a Blair não me recordaria do dia em que te fiz comer bolo de lama. E que só acreditei em você depois dos cinco anos. -Era ela! Essa era a Blair. A verdadeira sempre se lembraria disso, e ela era a verdadeira. Deixei o clone da Blair no chão totalmente ferida e caminhei até a verdadeira.
      - Não! Jack sou eu! Eu sou a Blair! -Virei-me para a ilusão e fiz com que ela ficasse presa no chão. Com as pernas congeladas. - Jack, o que eu faço pra você acreditar em mim?
      - Não a nada que você possa fazer. Ela já teve provas suficientes de eu saber qual é a verdadeira e qual é a falsa.
      - Fico feliz em saber que é mesmo você. -Blair disse. Continuei indo em sua direção, mas parei ao ouvir a voz da outra chorando. Neste momento, minha voz ficou confusa novamente. Algo me diz que ainda não acabou. A "Blair" que estava no chão conseguiu aos poucos se levantar. O que ela iria fazer agora?
      - Jack saia da frente! -Assim que ela levantou-se olhou para a Blair. - Eu disse saia! -Ela gritou.
      - Não! Você não vai machucá-la!
      - Eu não quero machucá-la, Jack! Apenas quero que você veja a verdade antes que a destrua. -Os olhos dela estavam brilhando. Agora, não estavam mais castanhos como antes. Eram vermelhos, o que me fez ter a certeza de que não era a Blair.
      - Não vou deixar você fazer nada com ela!
      - Sendo o Jack ou não. Tenho que acabar com tudo isso que está acontecendo. -Eu estava prestes a atacá-la de novo, então lembrei-me de Coelhão.
      - Se você é realmente a Blair, onde está o Coelhão?
      - Aprisionado. O Breu o sequestrou e quando tentei ajudá-lo ele me pediu para ir atrás de você. Mas as ilusões apenas me atrasaram e não tive tempo de encontrar você o Norte para poder avisá-los das ilusões. Quando cheguei, você já estava cercado de ilusões minhas. Eu via tudo o que você via, pois as ilusões também estavam colocando coisas em minha mente. -Suas palavras eram convincentes, mas eu não parava de apontar meu cajado para ela. A "Blair" mantinha as mãos em frente de si, tentando me acalmar. Sua camisola branca estava suja e de lama e sangue. Já a outra, não tinha nenhum ferimento se quer.
      - Como vou poder acreditar nessa história? -Perguntei. Ela se aproximou de mim mais um pouco, mas parou quando percebeu que eu iria atacá-la.
      - Basta sair da frente dela, e eu lhe mostrarei que conto a verdade. Eu prometo, não vou machucá-la, caso não queira. -Confiava ou não confiava? Essa dúvida ainda estava me matando. O Homem da Lua disse que era para mim seguir meu coração, não os meus olhos. Tudo o que eu via era duas Blair's entre mim.

      Acredite naquilo que você acha que é verdadeiro. Mas cuidado! Se escolher a opção errada, destruíra aquilo que ama e ao voltar será ainda mais julgado. As pessoas estão desconfiando, não do que você é mas acham que é um mal exemplo para a garota. A lua me disse. Ela nunca havia falado tanto assim comigo. A Blair que estava atrás de mim empurrou-me para o lado e ficou cara a cara com a Blair de olhos vermelhos. Os olhos dela estavam normal, e eu tinha certeza de que ela era a verdadeira, já a outra era uma das feiticeiras aliadas ao Breu. A garota de olhos vermelhos se aproximou mais da Blair, eu tentei ir até lá, mas a grama estava crescendo e prendia meus pés.

      - Se não quiser acreditar da maneira mais fácil vai acreditar da pior maneira! -Ela gritou olhando para mim. - Mas quero que saiba que o que verá irá assusta-lo um pouco. Mas eu não vou fazer tudo isso sozinha. -Eu achava que ela iria chamar o Breu e as outras feiticeiras, mas antes que fizesse qualquer coisa, a Blair a atacou com om tipo de magia, a jogando para longe. Como a Blair fazia isso? Minha cabeça doía e as cenas de mim e da Blair circulavam na minha memória. Eu estava confuso e ficando maluco.
      - Você não vai conseguir nada com isso, Blair! Você já não é a mesma e agora ele não acredita em nenhuma de nós duas. -A Blair no qual eu julgava ser a verdadeira gritou, se aproximando da outra.
      - Pode não acreditar em mim agora, mas vai acreditar quando eu acabar com você!

      A grama crescia rápido, me prendendo ali. Eu poderia congela-la e fazê-la quebrar. Mas a planta enfraquecia meus poderes como também os fortalecia. Era estranho, mas era real. Qual das duas era a Blair e por que a Blair tinha poderes? Eu não pude fazer nada para salvar uma das duas. A Blair que estava de olhos vermelhos e com vários arranhões pelo corpo atacou a outra Blair. Fazendo-a ser jogada no chão desacordada. De seu corpo, saía fumaça e os olhos de Blair já não eram mais vermelhos. A cada segundo trocava as cores para vermelho, laranja, azul e violeta. Nesta ordem. Ela caiu no chão completamente fraca e fechou os olhos. Olhei para a outra Blair e já não era mais ela, agora era uma mulher no qual não sabia qual era. Mas, aquela era a verdadeira Blair? Ela abriu os olhos e já estavam castanhos novamente. Ela olhou para mim e aos poucos a grama foi voltando ao normal.

      - Jack desculpe por isso. Nem mesmo eu sei direito o que eu fiz. -Ela se aproximou de mim e eu recuei.       - Achei que você já acreditava em mim.
      - Eu acredito! -Sorri e ela me abraçou. Sua pele estava diferente, estava meio quente e meio gelada. Eu não conseguia entender o que estava acontecendo com ela. - Blair... -Encarei seus olhos castanhos, era estranho olhar para ela sabendo que talvez em algum momento eles ficariam coloridos novamente. - Como... Como você fez aquilo?
      - Nem eu mesma sei! Eu só me lembro de ter ouvido uma voz me dizendo que eu era diferente, que eu faria coisas no qual eu pensava que só podia fazer em pensamentos. -Ela me desabraçou e foi até a mulher que ainda estava desacordada. Eu fui um monstro com ela durante essa confusão. Eu a machuquei, eu sentia vontade de matá-la, eu a fiz sofrer por minha causa.
      - Me desculpe pelo que eu te fiz. Os cortes, estão doendo? Você feriu as pernas ao quebrar o gelo. Eles a cortaram! -Disse desesperado. - Me desculpe, Blair. Talvez o melhor a fazer seria levá-la de volta para casa.
      - Não, eu estou bem! -Ela sorriu. Senti algo vibrar no bolso de meu moletom. Era o celular que a Catarina havia me dado.

"Estamos sendo atacados pelo Breu! O Coelhão está fazendo de tudo para não deixá-lo encontrar vocês dois que conseguiram escapar das ilusões de Darcy. Darcy é a feiticeira que estava atacando vocês. Sei disso pois o próprio Breu falou. Encontramos o lago e a Guardiã da vida está escondida na água. Venham nos ajudar, precisamos de vocês! - Sandman"

      Virei-me para Blair e percebi que ela também recebera a mensagem de Sandman. Vi sua mochila jogada no chão e a peguei. Encontrei um mapa dentro da mochila e assim que abri percebi onde estávamos. O lago ficava para o Norte, não muito longe de onde estávamos.


P.O.V Blair

      Eu não sabia porque havia feito aquilo. Não fazia sentido eu ter poderes assim como o Jack e ouvir uma voz em minha cabeça. Aquilo parecia um de meus sonhos, sonhos no qual jamais iria acontecer comigo. Quando acordava, eu tinha certeza de que o Jack era fruto da minha imaginação, mas ele sempre aparecia, aparecia para me levar para aventuras no qual nunca imaginei que vivesse. As aventuras que vivíamos não era como essa de agora. Era sempre diversão e imaginação. E eu sempre saía com um arranhão ou cortes um pouco profundos. Mas dessa vez era diferente, eu podia morrer e não voltar nunca mais. Aquela mulher era apenas o começo, Breu e as outras duas ainda estavam por vir. Segurei na mão de Jack e entrelacei nossos dedos. Aquilo estava me passando segurança.

      - Não precisa ter medo. Eu estou aqui!
      - Eu sei disso, Jack. Eu sei. Mas eu tenha medo de que algo de ruim aconteça. Eu estou com medo de que aquilo que fiz aconteça mais vezes. É tudo muito novo para mim e eu nunca vivi isso. Você está acostumado, eu não. A cada hora que se passa eu estou muito mais envolvida.

      Jack me passava segurança. Eu sorri para ele e o mesmo retribuiu. Não demorou muito para sermos atacados novamente. Um monte de cacos de gelo veio em nossa direção. Nos jogando para longe. Eu fiquei mais cortada ainda, meus braços e meu rosto sangravam. Olhei para onde vinham os cacos e vi uma outra mulher. Esta tinha cabelos brancos como o de Jack, olhos azuis e pele branca. Era como se fosse a versão de Jack feminina, mas ela era uma feiticeira como a outra que nos atacou mais cedo.

      - Minha irmã pode não ter conseguido acabar com vocês, mas eu vou conseguir! –Ela tinha uma voz maligna e eu tive a certeza que ela era a líder dos três. Novamente ela atacou, mas não a mim e Jack. Foi somente a mim. Fui lançada para mais longe e os cortes ficavam cada vez mais profundos.
      - Não! –Disse Jack. – Deixe-a em paz! Ela não tem nada haver com isso, é apenas mais uma pessoa inocente.
      - Hum... Gelo contra gelo. Seria mais fácil gelo contra o nada. Mas pelo que Breu me contou, tenho que acabar com você primeiro para chegar na garota. –Ela atacou o Jack, mesmo estando indefeso e fraco. Eu fiquei irritada por ela ter desacordado o Jack. Como da última vez, senti uma energia fora do comum em mim. Levantei e a encarei. Eu não sabia se aquilo daria certo novamente, mas eu precisava tentar. – Vai defender o namoradinho, Blair?
      - Não só ele, mas todos aqueles que você machucar! –Ela tinha um sorriso sapeca no rosto. Ela se preparou para atirar em mim. Quando vi um monte de gelo em minha direção, automaticamente eu pulei. Mas não um pulo qualquer, eu estava flutuando.
      - Mas oque? –Sem que ela dissesse nada. Acertei-a com uma magia diferente da que havia feito antes com a Darcy, irmã dela. Ao invés de fogo, era gelo. Ela caiu no chão, mas se estava acordada ainda. – Não pode ser! Você é apenas uma humana comum, não é igual a eles!
      - Era o que que eu achava até hoje. –Ela, enfurecida acertou-me com um furacão feito de gelo, o que me fez cair no chão um pouco tonta.
      - Você não é nada comparado a mim. Não importa como conseguiu esses poderes ou o que você realmente é. Eu vou acabar com você e com o seu amigo! –Dito isso, ela me acertou novamente. Cortando a minha testa. O sangue descia com rapidez, e ao tocar, percebi que precisava de pontos.
      - Posso não ser nada, mas irei ser quando ver você desacordada no chão! –A ataquei novamente. A cada ataque que eu dava nela, meus poderes iam aumentando cada vez mais, eu não sabia como estava fazendo isso. Ao invés de gelo como da última vez, foi fogo, mas diferente. Antes de ser fogo, começou com o sol. A noite daquela cidade se tornou dia, com um sol escaldante e muito quente. O sol, desceu de encontro com as minhas mãos e acertou a feiticeira, deixando com várias feridas e desacordada no chão.

      Aquilo era uma experiência nova, e eu não sabia como estava fazendo aquilo. Eu tinha poderes, tão extraordinários quando os de Jack. Eu conseguia fazer neve e absorver o poder do sol. O que mais eu podia fazer? Devagar, voei até Jack que já estava acordando. Quando ele abriu os olhos, me abraçou e se assustou ao ver a outra mulher caída no chão, mas ainda estava viva.

      - Como você fez isso? Se foi você mesma que fez isso. –Ele perguntou confuso.
      - Por mais incrível que pareça. Sim, foi eu que fiz isso. Jack, assim como você eu posso controlar tanto o gelo como a neve. E ainda por cima capturar um pouco do poder do sol.
      - Sol? Mas está de noite.
      - É complicado para mim falar disso agora. Vem, o lago é logo ali em frente, dá para ver o Sandman tentando deter o Breu.

      Eu o ajudei a levantar, o lago não estava tão longe de onde estávamos. Apenas uns trinta passos a frente. Ao chegar, vi a cena dos guardiões lutando contra o Breu e mais uma das mulheres que estavam nos atacando. Essa tinha cabelos super encaracolados e seu cabelo parecia uma novem negra. Vestia uma roupa cor de vinho e vi que ela controlava as tempestades. Vi Breu acenar com a cabeça para a mulher e ela vir em direção a mim e a Jack. Ele me olhou e vi medo em seus olhos.

      - Jack, não tenha medo. Você mesmo disse que era isso o que ele queria, não entregue a ele o que ele quer. -Segurei o seu rosto e o encarei enquanto falava. Jack segurou em minhas mãos e falou:
      - Vai ser difícil eu não sentir medo. Eu tenho medo de que algo aconteça com você.
      - Não vai nada acontecer comigo. Por incrível que pareça eu tenho poderes assim como você e, posso usá-los pra acabar com o Breu.
      - Tem certeza de que pode fazer de novo?
      - Tenho. Se eu consegui duas vezes acho que posso conseguir uma terceira ou uma quarta. Quem sabe uma quinta.
      - Blair, isso é sério. Por favor não brinca!
      - E eu pensava que você tinha o cerne da diversão. Pelo que eu saiba, você sempre anda brincando. -Jack bufou. - Ok, vou parar de ser infantil por algumas horas.
      - Ótimo. Mas agora corre pois tá vindo um tornado atrás de você.

      Antes que eu pudesse dizer qualquer coisa. Senti um forte vento me puxar. Jack segurou minhas mãos para não me deixar ser levada pela grande corrente de vento. Porém, foi inútil, minhas mãos estavam lisas e escorregaram das mãos de Jack. O tornado me girava, mas não era um tornado comum, ele não ia para outros lugares, permanecia no mesmo local. Eu podia ver os guardiões levarem uma surra de Breu, eles estavam perdendo feio. Também vi Jack tirar a atenção de Breu nos guardiões e ficar com ela para si. Eu temia que Breu o machucasse. Tão jovem e tão inútil pra ter poderes extraordinários! Ouvi uma voz, em seguida vi três feiticeiras. As duas que atacou a mim a Jack antes e mais uma, a que estava com o Breu.

      - Não precisa ter medo, Blair. Eu e as minhas irmãs não vamos machuca-la. Apenas se não for preciso. -Disse a mulher que estava com o Breu.
      - Mas que modos irmãs! Acho que ela deveria saber o nome de quem tomou os seus poderes. -Disse a mulher que continha o mesmo poder que Jack. - Me chamo Icy. Domadora do gelo e um de seus piores pesadelos, mas creio que não serei mais temida que as máquinas que você sonha algumas vezes.
      - Me chamo Stormy. Domadora das tempestades e a responsável pela destruição da sua pequena cidade. -Disse a mulher que estava com o Breu. Stormy, então esse era o seu nome.
      - E por fim... Chamo-me Darcy, e para o seu desespero, darei vida aos seus pesadelos.

      Elas me olhavam com um sorriso maldoso no rosto. Infelizmente eu tinha que lutar contra elas para poder ajudar Jack. Essa noite é a mais estranha dentre tantas que eu já tive, mas todas eram apenas em sonhos. Agora... Agora era real! E para piorar a situação, sinto que ao descobrir que tenho poderes, estou muito mais do que envolvida nessa história no qual não era para me pertencer. Mas a partir de hoje e para sempre pertencera. Blair, o seu futuro agora foi completamente mudado. O seu futuro não era isso, mas Jack trouxe você para esta história, e é nessa história que você descobrirá o que vai se tornar no final. Ele pode não acabar bem, mas o recomeço pode trazer várias surpresas. Não consegui ouvir mais nada, senti fortes impactos em meu corpo e fui violentamente jogada na água.
P.O.V Jack Frost

      Eu havia polpado os guardiões de serem destruídos pelo Breu. Ele me atacava, mas algo ou alguém me defendia de seus ataques. Então lembrei-me de Blair. Ela estava no tornada e eu não conseguia vê-la. Apenas a silhueta de três mulheres junto dela. Algo não estava normal, ela estava... Brilhando! Ou estavam a atacando ou ela estava usando seu poder. Olhei para o Homem da Lua e toda a sua luz refletia somente uma pessoa. A Blair. Ele estava a ajudando a se defender, quem sabe falando com ela. Como ela havia me dito antes.

      - Parece que enfim eu descobri o maior medo de Jack Frost. -Breu disse, se aproximando cada vez mais. Apontei meu cajado para ele e o mesmo deu uma gargalhada alta e assustadora. - Isso não funciona mais comigo. Acontece que quanto mais o mundo entra em caos e desespero. Mais forte eu fico. E o seu gelo, não vai acabar comigo. -Seus cavalos negros apareceram e me cercavam, levando-me ao sufoco e ao medo. - Parece que ela tem um poder enorme dentro de si, não é? -Ele riu. - É uma pena ela estar do lado da luz e não da escuridão. Ela seria a pessoa perfeita para me ajudar a acabar com os restos de esperança que esse mundo ainda tem. -Breu meio que gritou. - Agora veja o seu maior pesadelo se tornar real!
      - O que vai fazer com ela? -Ele sorriu maldosamente. - Se fizer algo de ruim com ela considere-se morto! Eu acabarei com você antes que diga pesadelo.
      - Infelizmente não vai poder fazer nada para ajudá-la. -O tornado que prendia Blair se desfez e vi a mesma de olhos fechados e com lágrimas nos olhos. As bruxas riam de sua dor e em alguns momentos a atiravam com feitiços. Ela não se defendia nem se movia, mas a lua brilhava sobre ela. O que o Homem da Lua dizia para ela naquele momento? -Agora! -Breu disse e atirou-na uma flecha, como fez em Sandman numa vez que lutamos contra Breu. As bruxas atiraram-na feitiços, e quando a flecha a tingiu,ela caiu na água. E a última coisa que vi antes de fechar os olhos foi uma mulher ir em sua direção, entrando na água junto dela.

P.O.V Blair

      Esse era o meu fim. Eu morreria ali e meu pai e minha mãe nem saberiam como eu sumi. Eu havia saído e deixado tudo trancado, e eles nunca imaginariam que eu morri sendo vítima de feitiços, feitiços de verdade e não da minha imaginação. Depois de tanto sonhar e querer viver uma aventura como essas, eu finalmente vivi. Mas infelizmente, eu não vou sobreviver para contar a história. Enquanto previa a minha morte, eu vi a lua. Ela brilhava sobre a água e por incrível que pareça eu estava respirando embaixo d'água.
      - Ah! -Gemi. A minha cabeça doía e eu sentia novamente energia dentro de mim. Conforme minha cabeça doía e eu sentia meus músculos implorando por ajuda, eles se transformavam em algo no qual eu não podia compreender. Eu conseguia sentir que estavam congelando, mas ao mesmo tempo estavam pegando fogo. Meu coração fervia, mas ao mesmo tempo estava frio. Não sabia o que estava acontecendo comigo. Sentia que a minha pele cheirava a flores. Coloquei a mão na cabeça não aguentando a dor. Abri um pouco os olhos e vi algo no qual eu nunca imaginaria que acontecesse. Minha pele clareou um pouco e meus cabelos tinham mechas laranjas. A transformação só será completa quando o dia escolhido chegar. E quando chegar, ainda passará cerca de três anos aguardando a transformação estar completa.
      - Blair! -Ouvi a voz de uma mulher. Eu estava de olhos fechados e não conseguia ver nada. Não queria abrir meus olhos de forma alguma. - Blair, não se assuste! Eu sou a Guardiã da vida. -A voz da moça era tranquilizadora, e eu sentia que podia confiar nela. - Blair, abra os olhos! Se não abri-los, Breu vai destruir todos os guardiões, isto se você não detê-lo. Abra os olhos e volte para a batalha antes que seja tarde demais. Ele está poluindo o riu, e se poluí-lo por completo eu serei destruída. -Ela tocou em minha cabeça e passou a mão pelos meus cabelos. Suas palavras me encorajaram o bastante para abrir meus olhos e deter Breu antes que machucasse alguém. Ao abri-los, senti minha pele congelar.
      Saí da água com os olhos pegando fogo e o corpo completamente frio. Breu assustou-se ao me ver viva. Soltou Jack e trincou os dentes para mim, tentando me dar medo, mas não estava funcionando. Levantei minhas mãos para o alto e começou a ventar, muito. As folhas das árvores caíam e vinham em direção ao tornado que eu fazia, elas estavam mudando de cor para laranja, como no outono. Lancei o tornado contra Breu e as bruxas. Eles foram sugados para o vento e lançados para longe daquele lugar. Mas antes ele disse: Nós voltaremos, Blair! E a primeira na nossa lista para ser destruída é você! Minhas pernas ficaram fracas e eu caí, mas a Fada veio até mim e me segurou para não cair na água novamente. A Guardiã da vida saiu da água e fez um feitiço que despoluísse o lago. Ela sorriu para mim e se aproximou.

      - Você foi muito corajosa. Porém corre um grande risco agora que Breu sabe que possuí poderes. -Ela olhou para Jack. - Você, garoto das neves. Tem uma grande missão a partir de agora. -Ela aproximou-se dele e olhou para mim. - Breu está ficando mais forte a cada dia, e agora que a Blair possuí poderes pode ser que ela não consiga os controlar quando estiver zangada, nervosa, triste, com medo... Vocês cinco tem de ensiná-la a controlá-los. Jack, você tem que protegê-la contra tudo que o mundo tem. Talvez Breu faça com que coisas maravilhosas se tornem prisioneiros das Trevas e a leve para a escuridão. Você tem de protegê-la!
      - E o que ela vai fazer para se proteger das Trevas quando não estivermos por perto? -A Guardiã pareceu pensar um pouco e logo tirou algo do pescoço.
      - Coloque isso Blair! Vai protegê-la da escuridão. -Ela colocou o colar em meu pescoço e voltou para a água. - Quando mais precisar de ajuda, segure o colar e peça ajuda a mim. Eu irei ajudá-la o mais rápido que eu puder. - E então ela desapareceu no fundo do lago.

Meia hora depois...

      - Eu não devia ter a levado. Talvez o certo seria ficarmos nos divertindo até o fim. E quando esse dia chegar, talvez diga as palavras no qual eu nunca terei coragem de dizer. -Jack me disse ao chegar em minha casa.
      - Você pode não dizer. Mas eu posso fazer acontecer. -Eu sorri para ele, e o mesmo retribuiu.
      - Mas o que você... -Antes que ele pudesse continuar a dizer alguma coisa, eu o beijei. Foi apenas um selinho, um demorado selinho. Afastei dele um pouco e vi que ele estava assustado. Eu já iria jogar o globo para mim entrar em casa, mas ele me puxou e me beijou outra vez. Dessa vez um beijo de verdade, e não um selinho. Deixei que a pequena esfera de cristal caísse no chão e abrisse um portal. Sem me preocupar com isso, coloquei uma mão no ombro de Jack e a outra em sua nuca. Eu não era especialista em beijos, afinal era o meu primeiro beijo. Eu não queria mais parar, mas eu tive ao perceber que o despertador já iria tocar. Afastei-me de Jack e dei um último selinho antes de entrar no portal e ele se fechar, deixando lá fora um Jack bobo e feliz.

Duas horas depois...

      Eu não tive nem um tempo para poder dormir. Assim que me deitei e fechei os olhos o celular de minha mãe tocou. Fazendo'a se levantar e vir até onde eu estava. Ela acendeu a luz da sala e ao perceber meus arranhões me cutucou, e eu fingi que estava acordando.

      - Mas já? -Perguntei fingindo estar sonolenta.
- Blair, que arranhões são esses por todo o seu corpo? -Ela me perguntou furiosa, e ficou mais furiosa ainda quando viu que eu estava um pouco mudada. - E porque está usando pó? Como fez essas mechas no cabelo? Blair seu cabelo é lindo e você vai fazer uma porcaria dessas na cabeça? Já vi que vou ter que mandar raspar. -E foi isso o que aconteceu duas horas atrás.

      Eu disse a minha mãe que havia caído no banheiro e que as mechas eram apenas apliques e que eu não iria tirá-los tão cedo. Já o fato de eu estar mais clara, disse que era coisa de sua cabeça. Minha mãe apenas suspirou e me mandou ir tomar banho enquanto ela esperava meu pai chegar do trabalho que trazia o pão para o café da manhã. Ao terminar de me arrumar, tomei meu café e fui para a escola com o Jack que insistia em falar do nosso beijo. Antes de entrar, vi as meninas e corri até elas que me olharam estranhamente e ficaram de boca aberta.

      - Por acaso você e o Jack foram assaltados ontem a noite? -Perguntou Sara. - Os dois estão com arranhões no rosto. Se não foi assalto, foi oque?
      - É, nós fomos assaltados. E quando o ladrão percebeu que não tínhamos nada, tivemos que correr e aí acabamos caindo em um buraco. -Jack não me deixou falar.
      - E o fato da Blair estar mais branca e com mechas? O que você fez com ela? -Perguntou Selena, seca como sempre.
      - Isso eu fiz ontem a noite. Queria algumas mechas no cabelo e então eu resolvi fazer, eu mesma. E o fato de eu estar mais clara é tudo ideia da sua cabeça. Eu estou da minha cor natural. -Diferenciei um pouco as histórias. As meninas não comentariam sobre o meu cabelo com a minha mãe. Enquanto conversávamos sobre Jogos Vorazes, o quanto Josh Hutcherson era lindo e o Jack reclamava sobre meus comentários, vi uma pessoa desagradável, pelo menos pra mim. - Catarina, como veio pra cá tão rápido?

Primeiro eu queria pedir desculpa pela demora, mas eu tive que ter inspiração para poder escrever essa ação. Não sei se ficou muito legal pois é a primeira vez que escrevo uma cena de ação como essa. Esse capítulo teve de ficar enorme, e eu gostei de escrever ele. Fiz algumas alterações em nomes de capítulos como esse e os outros pois somente Guardiã da vida parte tal estava ficando chato. Vi lá os resultado da enquete e vocês tão ficando bem safadinhas viu? Querem que o relacionamento do Jack e da Blair esquente. Ah, poderiam me ajudar a fazer um ship legal para eles dois? Juntem os nomes deles dois e façam um ship. Vão me ajudar bastante. em, até amanhã, talvez. Beijão!

4 comentários:

  1. Que cap. divoooooo!!!! Ai gente, eu quase me engasgei na cena do beijo hehe. Eu votei que sim, na enquete haha. Shipper? Hmmmm............. Jair, Black, Blaja (saporra?!), Jab.... Já deu pra perceber que sou péssima em criar shipps, mas eu gostei do Black =3

    Continua, pandinha (vou te chamar assim agora :v)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Black eu gostei desse ship. E pode me chamar do que quiser e o próximo cap já está quase no final.

      Excluir
  2. Gente,ficou show , divo demais....
    Maus, nao sei nenhum shipper. (Criatividade zerooo)
    Continua??

    Xx: bjss de mim Carol
    (Cel)

    ResponderExcluir
  3. tudo bem liamda esse cap. ficou muuito mara, adorei, um caop. de ação e ainda com um beijo no fina, curti, um shipper...hmm...sei lah, talvez jlair kkkñ sei inventar shippers como pode ver, continua to curiosa pra ver a relação deles esquentar haha malikisses
    by:Duda

    ResponderExcluir